Snapchat

Oie!!!
Tudo bem?

Gente ontem eu estava fuçando o Instagram e achei uma conta muito legal, a @herbivorazblog . A conta é da Julia Guedes e adorei varias postagens dela. Vi que ela tem um blog, também, o Herbivoraz , entrei e adorei. Ela posta basicamente sobre alimentação saudável e tudo plant-based, fora as fotos que são maravilhosas!!!!!

 

Gostei muito de um texto que ela escreveu lá e, com a autorização dela, quis postar aqui também para vocês. Olhem só:

 

 

OITO MOTIVOS PARA COMPRAR COMIDA LOCAL

 

FA3DA69B-A2EA-4F68-97AC-75414A67F85A

 
1. É mais nutritiva e barata.
Quanto mais rápido o alimento chegar até você, maior é a probabilidade de ele não ter perdido todos os nutrientes benéficos para a sua saúde. Alguns alimentos, mesmo que in natura, podem ter seus valores nutricionais alterados devido a condições precárias do solo em que foi produzido, entre vários outros fatores. Em comércios pequenos o preço também tende a ser mais acessível.

 

2. O gosto é melhor.
Alimentos que viajam longas distâncias em caminhões ou qualquer outro transporte ficam velhos e perdem grande parte do sabor antes de chegar até a sua casa. Se você comprar do pequeno produtor em uma feira livre de rua, por exemplo, terá alimentos mais saborosos e de melhor qualidade.

 

3. É mais segura.
A agricultura local trabalha com mais responsabilidade, proporcionando um ecossistema saudável em seus campos e se importando mais com seus consumidores.
“Estão perdendo força sistemas alimentares centrados na agricultura familiar, em técnicas tradicionais e eficazes de cultivo e manejo do solo, no uso intenso de mão de obra, no cultivo consorciado de vários alimentos combinado à criação de animais, no processamento mínimo dos alimentos realizado pelos próprios agricultores ou por indústrias locais e em uma rede de distribuição de grande capilaridade integrada por mercados, feiras e pequenos comerciantes.”

 

4. Preservação da biodiversidade.
No sistema de agricultura moderno as variedades das plantas são escolhidas pela sua habilidade de amadurecerem uniformemente, resistirem a colheita, sobreviverem ao empacotamento e durarem bastante nas prateleiras do mercado. Por isso há pouca diversidade genética em produções de larga escala. Produtores locais plantam diversas variedades para ter produtos de maior qualidade, com cores, sabores e nutrientes em seu máximo.
“Alimentos de origem vegetal ou animal oriundos de sistemas que promovem o uso sustentável dos recursos naturais, que produzem alimentos livres de contaminantes, que protegem a biodiversidade, que contribuem para a desconcentração das terras produtivas e para a criação de trabalho e que, ao mesmo tempo, respeitam e aperfeiçoam saberes e formas de produção tradicionais são chamados de alimentos orgânicos e de base agroecológica.”

 

5. Suporte de famílias locais.
Além de ajudar famílias e agricultores que moram em regiões afastadas e sem grandes oportunidades de emprego, o consumo de produtos locais ajuda a aquecer a economia de pequenas comunidades. O dinheiro arrecadado é investido no mesmo local, proporcionando uma melhor qualidade de vida para eles e para nós, consumidores. O que os agricultores ganham com o preço do atacado fica bem próximo do custo da produção, fazendo com que lucrem menos.
“Recentemente, na maior parte do mundo, as formas de produzir e distribuir alimentos vêm se modificando de forma desfavorável para a distribuição social das riquezas, assim como para a autonomia dos agricultores, a geração de oportunidades de trabalho e renda, a proteção dos recursos naturais e da biodiversidade e a produção de alimentos seguros e saudáveis.”

 

6. Preservação de espaços abertos.
Aquele acre de terra de uma fazenda pode acabar sendo vendido para alguma grande indústria. Ao comprar comida local você ajuda a preservar as paisagens e o ecossistema como um todo. Quando os fazendeiros são pagos por seus produtos com por preços justos, menor é a probabilidade de venderem suas terras.

 

7. Construção de uma comunidade local.
Ao comprar um alimento em comércios pequenos você está criando uma conexão entre quem come e quem planta. Saber qual alimento vem com determinada época do ano é incrível. Indo a feiras livres de rua regularmente você passará a prestar atenção em quais alimentos são ofertados, além de conhecer vários outros que talvez nunca tenha visto.
“A participação em grupos de compras coletivas, formados com vizinhos ou colegas de trabalho, pode ser uma boa opção para a compra de alimentos orgânicos da agricultura de base agroecológica. dando preferência aos produtores e comerciantes que vendem alimentos in natura ou minimamente processados e, mais ainda, àqueles que comercializam alimentos orgânicos e de base agroecológica, você estará contribuindo para a sobrevivência e expansão deste setor da economia.”

 

8. Investimento no futuro.
Ao apoiar agricultores locais hoje, você está garantindo que eles continuarão a existir em sua comunidade amanhã. E isso também significa sempre ter oferta de comida boa e de qualidade na sua casa.
“Quanto mais pessoas buscarem por alimentos orgânicos e de base agroecológica, maior será o apoio que os produtores da agroecologia familiar receberão e mais próximos estaremos de um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável.”

 

*Todas as citações fazem parte do Guia Alimentar para a População Brasileira.
*Texto adaptado do “With an Ear to the Ground” (1999), de Vern Grubinger

 

 

 

 

Adorei, Julia! Obrigada!

Entrem no blog e Instagram dela, vocês vão adorar, dá ainda mais vontade de ser saudável hahaha.

 

 

Beijos

Gabi

Continue lendo

Banner Alekta