Snapchat

Bom dia, gente!!!

Tudo bem?

Muitas pessoas têm muitas dúvidas sobre fazer aeróbico em jejum, se devemos treinar ou não sem comer antes.

Por isso, pedi ao Thiago Volpi me mandar um texto falando sobre o assunto, e o médico nutrólogo Kaue Kranholdt, da equipe dele, escreveu o seguinte texto que eu amei:

aerobico

AERÓBICO EM JEJUM

A atividade física aeróbica em jejum é muito difundida atualmente como um bom método para queima de gordura e sua prática tem se tornado muito popular. Mas do que se trata o aeróbico em jejum? Esta atividade consiste na prática de exercícios físicos pela manhã, logo após acordar, com jejum total de calorias. Esta prática fundamenta-se no conceito de que se o organismo está há muitas horas sem ingerir calorias então o recrutamento dos lipídeos das células de gordura como fonte de energia para o exercício será mais efetivo, já que as reservas de glicose já foram utilizadas durante o período sem alimentação.

Para dar seguimento nesse conceito, devemos entender como nosso organismo produz energia: nossa dieta é estruturada nos macronutrientes proteína, gordura, carboidrato e fibras. O carboidrato funciona como o combustível do corpo. Todas as nossas atividades metabólicas e celulares precisam de uma fonte de energia e essa fonte é o carboidrato que, combinado com o oxigênio, produz a energia necessária. Após a alimentação nosso corpo passa por uma fase anabólica (construção de reservas de energia) e estoca glicose em forma de glicogênio no fígado e nos músculos. Uma parte da energia consumida será estocada também como ácidos graxos (gorduras ou lipídeos), que representam alta reserva energética. A fase oposta a fase anabólica é a fase catabólica, quando precisamos de energia e o metabolismo recruta suas reservas. Após o anabolismo, se não houver uma nova ingesta de alimentos, o corpo passa para a fase catabólica consumindo principalmente o glicogênio hepático e muscular, e então pode partir para o recrutamento da gordura e até de aminoácidos para produzir energia, fenômeno conhecido como gliconeogênese. Considerando, portanto, um longo período sem alimentação, como algumas horas de sono, então a realização de exercícios logo após acordar e sem se alimentar já seria um momento de baixa reserva de glicogênio, e o corpo rapidamente converteria a produção de energia a partir de gordura.

Na teoria, o AEJ parece simples e lógico, mas na prática não é bem assim. Como falei anteriormente, após o uso do glicogênio o corpo consome gordura, mas consome também aminoácidos. Isso significa que a realização de exercícios em jejum pode consumir a própria musculatura (catabolismo muscular) e não necessariamente apenas a gordura. Além disso, em pessoas menos preparadas fisicamente, a manutenção da glicose sanguínea em concentrações normais pode não ser efetiva e a queda da glicemia, a hipoglicemia, pode levar a sintomas graves como enjoos, tonturas, vômitos e perda de consciência. Por isso alguns praticantes do AEJ utilizam artifícios como suplementos aminoácidos (BCAAs) e triglicérides de cadeia media (óleo de coco) visando facilitar a obtenção de energia pro exercício ou evitar catabolismo muscular. Neste momento, vale lembrar que o uso desses artifícios descaracteriza o jejum. Há quem justifique que, embora exista a ingesta de nutrientes, esses elementos não estimulam a secreção de insulina, nosso principal hormônio anabólico, e então ainda manteriam os benefícios do jejum.

Cientificamente, não foi evidenciado que exista alguma diferença entre fazer aeróbicos com ou sem jejum em termos de consumo de gordura. Portanto, de qualquer maneira que você pratique seu exercício haverá o mesmo gasto calórico e a mesma queima de gordura. É fato que a prática do jejum com ou sem exercício promove diferentes estímulos adaptativos no organismo e podem eventualmente ter seu uso indicado para algum objetivo de treinamento, mas pouco benefício poderá apresentar para o público em geral. Além disso, soma-se a possibilidade da hipoglicemia, do catabolismo muscular e da queda de performance. Esses fatores apontam para um custo-benefício do AEJ muito discutível para a maioria das pessoas.

Sendo assim, recomendo que você se atente ao fato de que não é ficar sem comer antes do aeróbico que vai te fazer queimar gordura, é o que você vai comer o resto do dia! A quantidade de gordura consumida pelo seu organismo dependerá principalmente de quantas calorias são ingeridas e de quanto você gasta de energia nas suas atividades diárias e na sua prática esportiva. Não se deixe influenciar por tendências , ideias e opiniões provenientes de pessoas que não sejam seus orientadores profissionais de dieta e exercício, pois somente esses tem o conhecimento técnico para poder indicar o melhor a se fazer conhecendo a sua realidade individual.

Médico Nutrólogo Kaue Kranholdt
Adorei, Kaue! Obrigada!!!
E vocês, gostaram?
Beijos
Gabi

Continue lendo

Banner Alekta